A Internacionalização da Educação Superior: uma análise do programa Ciência sem Fronteiras no Brasil, caminhos e desafios / The Internacionalization of Higher Education: An Analysis of the Science without Borders Program in Brazil, paths and challenges

Martha Abrahão Saad Lucchesi, Eliana Branco Malanga

Resumen


ABSTRACT

This article discusses the Science without Borders (Ciência sem Fronteiras) program, a student exchange program between Brazil and other countries, which has been implemented by the Brazilian government as an education public policy. This is a scholarship program funded by "the Brazilian government, aiming to send 101,000 Brazilian students abroad to take part in undergraduate sandwich courses and PhD sandwich programs, as well as doctors, to study in the fields of science, technology, engineering, mathematics and creative industry in top universities worldwide" (Brazil/2012). Currently, there are many Brazilian students in Europe and the USA. The program also intends to attract foreign researchers who are interested in working in Brazil. The estimated cost of the program is BRL$ 3.2 billion (USD 1.6 billion) (Castro et al., 2012). The exchange program aims to sow the seeds of what could revolutionize the R&D system, since Brazilian students and researchers will be exposed to an environment of high competitiveness and entrepreneurship (Brazil/2012). This research draws on quantitative data (MEC, 2012) and qualitative analysis. It investigates the relationship between the production of knowledge and internationalization as well as the possible impacts for Brazil of a greater inclusion, with competence and competitiveness, into a globalized world. This study also carries out a critical analysis. Brazil needs to internationalize its universities and the Science without Borders program may bring potential contributions on the topic.

RESUMO

Este artigo discute o intercâmbio de estudantes entre Brasil e outros países, uma política pública para educa-ção, implementada pelo governo brasileiro com o programa Ciência sem Fronteiras. Este é um programa de bolsas de estudo “do governo brasileiro que visa enviar 101 mil estudantes brasileiros para cursos de graduação sanduíche, cursos de doutorado sanduíche e doutores para estudar nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia, matemática e indústria criativa, nas melhores universidades do mundo" (Brasil/2012). Atualmente, existem muitos estudantes brasi-leiros na Europa e nos EUA. Pretende ainda atrair pesquisadores do exterior que estejam interessados em trabalhar no Brasil. O custo estimado do programa é de R$ 3,2 bilhões (US$ 1,6 bilhão) (Castro et al., 2012). O programa de inter-câmbio visa lançar as sementes do que pode revolucionar o sistema de P&D, pois os estudantes e pesquisadores brasi-leiros serão expostos a um ambiente de alta competitividade e empreendedorismo (Brasil/2012). Esta pesquisa utiliza dados quantitativos (MEC, 2012) e análise qualitativa. Analisa-se a relação entre a produção de conhecimento, inter-nacionalização e os possíveis impactos para o Brasil de uma maior inserção, competente e competitiva, no mundo globalizado. Uma análise crítica faz parte deste estudo. O Brasil precisa internacionalizar suas universidades e o programa Ciência sem Fronteiras poderá evidenciar potenciais contribuições sobre o tema.


Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Bonitatibus, Suely. G. (1989). Educação comparada : conceito, evolução e método. São Paulo: EPU.

Brasil. (2013a). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Educação. Ciência sem fronteiras . Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/metas Acesso em: 30/maio/2013.

— (2013b). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Educação. Ciência sem fronteiras . Painel de Controle do Programa Ciência sem Fronteiras. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/painel-de-controle. Acesso em: 30/junho/2013.

— (2013c). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Educação. Ciência sem fronteiras. Decreto no . 7.642, de 13 de dezembro de 2011. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/documents/214072/0/Decreto+n%C2%BA+7642-Ci%C3%AAncia-sem-Fronteiras.pdf. Acesso em: 15/julho/2013.

— (2013d). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Educação. Ciência sem fronteiras. Pesquisador Visitante Especial. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/pesquisador-visitante-especial. Acesso em: 30/junho/2013.

— (2013e). Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; Ministério da Educação. Portaria Interministerial n. 1 de 9 de janeiro de 2013. Diário Oficial da União, sexta-feira, 11 de janeiro de 2013, p. 24. Disponível em: http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/documents/214072/0/MEC_MCTI_institui+%C3%A1reas+e+temas+priorit%C3%A1rios_Ci%C3%AAncia+sem+Fronteiras.pdf. Acesso em: 30/junho/2013.

Carnoy, Martin. (2005). “Globalization, educational trends and the open society”, OSI Education Conference 2005: Education and open society: a critical look at new perspectives and demands, Education Support Program. Disponível em: http://www.opensocietyfoundations.org/sites/default/files/carnoy_english.pdf. Acesso em: 22/julho/2013

Carnoy, Martin; Castells, Manuel; Cohen. Stephen & Cardoso, Fernando-Henrique. (1993). The New Global Economy in the Information Age . University Park. PA: Pennsylvania State University Press.

Castells, Manuel. (1999). A era da informação: economia, sociedade e cultura, vol. 3, São Paulo: Paz e terra, 411-439.

Castro, Claudio M.; Barros, Hélio; Ito-Adler, James; Schwartzman, Simon. (2012). “Cem mil bolsistas no exterior”. Interesse Nacional, abril/jun 2012, 25-36.

Ioanonnidou, Alexandra. (2007). “A comparative analysis of new governance instruments in the transnational educational space: a shift to knowledge-based instruments?” European Educational Research Journal, 6(4), 336-347. Disponível em: http://dx.doi.org/10.2304/eerj.2007.6.4.336. Acesso em: 22/jan/2013.

Lucchesi, Martha A. S. (2011). “La Universidad Internacional en América Latina: un Nuevo Paradigma para el Siglo XXI”. Formación Universitária 4, 25-36.

— (2008). “Education and Social Policy in Brazil: Alternatives to Higher Education”. The International Journal of Interdisciplinary Social Sciences , v. v.3, 49-58.

— (2002). University at the threshhold of the third millennium: challenges and tendencies. São Paulo: Leopoldianum.

Lucchesi, Martha A. S.& Malanga, Eliana B. (2010). “Perceptions of higher education in Brazil in the first decade of the third millennium”. US-China Education Review 7, 31-44.

— (2009). “Post-Disciplinarity: Brazilian Universities Ethos in the Society of Knowledge”. Journal of the World Universities Forum 2, 185-198.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2014 Revista Internacional de Ciencias Sociales

ISSN: 2530-4909

URL: http://journals.epistemopolis.org/index.php/csociales/