Acceso abierto Acceso abierto  Acceso restringido Acceso mediante suscripción

Herança Ibérica, Jeitinho e Instituições Políticas Informais no Brasil / Iberian Heritage, Jeitinho and Informal Political Institutions in Brazil

Leandro do Nascimento Rodrigues, Martin Adamec, Willian Washington Wives

Resumen


ABSTRACT

 This paper aims to analyze Iberian influences, especially Portuguese, in the Brazilian political institutions. We understand that the institutions of the Portuguese colonial administration, which existed before the beginning of the colonization itself, were responsible for shaping Brazilian political practices up to the present day, transforming themselves into entrenched cultural values. To explain such factors, we adopt a theoretical framework based on the debate between traditional and modern State, based on Weber's Studies on State and Patrimonialism. We understand that one of the consequences of this historical heritage is the ongoing tension between a formally rational-legal organization and the common use of cordiality and the "Brazilian jeitinho", a Brazilian cultural pattern, as well as tolerance of practices that undermine formal institutions. We consider this practice an informal institution, per Levitsky and Helmke (2006) conceptualization. In order to prove such elements, we adopted a historical and cultural analysis of the Iberian heritage and later analyzed institutional data collected in the 2002 Brazilian Social Survey (PESB 2002)

RESUMO

O Presente artigo tem como intuito analisar a influência ibérica, notadamente portuguesa, nas instituições políticas brasileiras. Entendemos que as instituições da administração colonial portuguesa, existentes desde antes do início da colonização em si, foram responsáveis por moldar as práticas políticas brasileiras até os dias de hoje, transformando-se em valores culturais arraigados. Para explicar tais fatores adotamos um arcabouço teórico baseado no debate entre Estado tradicional e moderno, calcado nos Estudos de Weber acerca do Estado e do patrimonialismo. Entendemos que uma das consequências dessa herança histórica é a contínua tensão entre uma organização formalmente racional-legal, e o uso corriqueiro da cordialidade, do "jeitinho brasileiro", bem como a tolerância a práticas que ferem os aspectos institucionais formais referidos, mas são culturalmente aceitas. Para comprovar tais elementos adotamos uma análise histórica da herança ibérica e posteriormente analisamos alguns dados institucionais coletados na Pesquisa Social Brasileira de 2002.


Palabras clave


Instituições Informais, Jeitinho, Herança Ibérica, Brasil, Cultura.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


ADAMEC, Martin. A formação da identidade nacional brasileira: um projeto ressentido. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto de Ciência Política, Universidade de Brasília, Brasília, 2014.

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Perspectiva, 2005. 5.ed.

AZARI, Julia R.; SMITH, Jennifer K. Unwritten Rules: Informal Institutions in Established Democracies. Perspectives on Politics, v. 10, n. 01, p. 37-55, 2012.

BARBOSA, Lívia. O Jeitinho Brasileiro: A arte de ser mais igual do que os outros. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.

BRINKS, Daniel. The Rule of (Non)Law: Prosecuting Police Killings in Brazil and Argentina In. HELMKE, Gretchen; LEVITSKY, Steven. Informal institutions and democracy: Lessons from Latin America. JHU Press, 2006.

CARVALHO, José Murilo de. Os Bestializados: O Rio de Janeiro e a República que não foi. 3ª Edição, 20ª reimpressão. São Paulo, Companhia das Letras, 2011.

CAMPANTE, Rubens Goyatá. O Patrimonialismo em Faoro e Weber e a Sociologia Brasileira. In: Dados – Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, Vol 46, nº 1, 2003.

COMPARATO, Fábio Konder. Obstáculos históricos à vida democrática em Portugal e no Brasil. ESTUDOS AVANÇADOS 17 (47), 2003

DAMATTA, Roberto. A Casa & A Rua: Espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.

________________. O que faz o brasil, Brasil? Rio de Janeiro: Salamandra, 1984.

DIA, Mamadou. Africa's management in the 1990s and beyond: Reconciling indigenous and transplanted institutions. World Bank Publications, 1996.

DURKHEIM, Émile. Da Divisão do Trabalho Social. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

FREYRE, Gilberto. Casa Grande & Senzala. 51ª ed. São Paulo: Global, 2008.

GREIF, Avner; KINGSTON, Christopher. Institutions: Rules or Equilibria?. In:Political economy of institutions, democracy and voting. Springer Berlin Heidelberg, 2011. p. 13-43.

HALL, Peter A.; TAYLOR, Rosemary CR. Political science and the three new institutionalisms*. Political studies, v. 44, n. 5, p. 936-957, 1996.

HELMKE, Gretchen; LEVITSKY, Steven. Informal institutions and comparative politics: A research agenda. Perspectives on politics, v. 2, n. 04, p. 725-740, 2004.

_______________________. Informal institutions and democracy: Lessons from Latin America. JHU Press, 2006.

HINDRIKS, Frank; GUALA, Francesco. Institutions, rules, and equilibria: a unified theory. Journal of Institutional Economics, v. 11, n. 03, p. 459-480, 2015.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26.ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

KELLEMEN, Peter. Brasil para Principiantes. São Paulo: Civilização Brasileira, 1964.

NORTH, Douglass C. Institutions, institutional change and economic performance. Cambridge university press, 1990.

PEJOVICH, Svetozar. The effects of the interaction of formal and informal institutions on social stability and economic development. Journal of Markets and Morality, v. 2, n. 2, 1999.

PESB, Pesquisa Social Brasileira, 2002.

QUEIROZ, Maria Isaura P. de. O mandonismo local na vida política brasileira: Da Colônia à Primeira República. São Paulo: Instituto de Estudos Brasileiros, 1969.

RODRIGUES, Leandro do Nascimento. Os caminhos da identidade nacional brasileira: A perspectiva do etnosimbolismo. 2013. 260 f. Tese (Doutorado em Ciência Política) – Instituto de Ciência Política, Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

ROHDE, David W. Studying Congressional Norms: Concepts and Evidence. In: Congress & the Presidency: A Journal of Capital Studies. Taylor & Francis Group, 1988. p. 139-145.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Brasil: Uma Biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

SCHWARTZ, Stuart B. Burocracia e e sociedade no Brasil colonial: O Tribunal Superior da Bahia e seus desembargadores, 1609-1751. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

WEFFORT, Francisco. Espada, cobiça e fé: As origens do Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2018 Revista Internacional de Ciencias Sociales

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.

ISSN: 2530-4909

URL: http://journals.epistemopolis.org/index.php/csociales/