Acceso abierto Acceso abierto  Acceso restringido Suscripción o acceso de pago

Discentes com deficiência visual e a inclusão na educação superior

Thelma Helena Costa Chahini, Silvania dos Santos Rabêlo, João Brito Batista

Resumen


A Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva esclarece que, na educação superior, a educação especial se efetiva por meio de ações que promovam o acesso, a permanência e a participação de alunos com deficiência e/ou com necessidades educacionais específicas. Essas ações envolvem o planejamento e a organização de recursos e serviços à promoção da acessibilidade arquitetônica, nas comunicações, nos sistemas de informação, nos materiais didáticos e pedagógicos, que devem ser disponibilizados nos processos seletivos e no desenvolvimento de todas as atividades que envolvam o ensino, a pesquisa e a extensão. Nesse contexto, desenvolveu-se uma pesquisa exploratória, descritiva, na Universidade Federal do Maranhão, visando investigar as percepções dos discentes com deficiência visual em relação aos desafios da permanência, com êxito de aprendizagem, na Educação Superior. Os participantes foram 10 alunos com deficiência visual.Os instrumentos de coleta de dados foram entrevistas semiestruturadas. Os resultados enfatizam a falta de operacionalização das Políticas Educacionais que visam a Inclusão de pessoas com deficiência na Educação Superior, bem como a carência de recursos humanos que possam concretizar essas políticas.


Texto completo:

PDF (Português (Brasil))

Referencias


Chahini, T. H. C. (2006). Os desafios do acesso e da permanência de pessoas com necessidades educacionais especiais nas Instituições de Ensino Superior de São Luís – MA. Disser-tação de mestrado, Universidade Federal do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.

Chahini, T. H. C. (2010). Atitudes sociais e opiniões de professores e alunos da Universidade Federal do Maranhão em relação à inclusão de alunos com deficiência na educação superior. Tese de doutorado, Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brasil.

Coutinho, M. M. A. (2011). A inclusão da pessoa com deficiência visual na Educação Superior e a construção de suas identidades. Dissertação de mestrado, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Decreto nº 7.611, de 17 de novembro de 2011. (2011). Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado, prevendo estruturação de Núcleos de acessibilidade nas Instituições Fe-derais de Educação Superior. Brasília. Recuperado em 10 de novembro de 2014, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm.

Decreto nº 7.612, de 17 de novembro de 2011. (2011). Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado, prevendo estruturação de Núcleos de acessibilidade nas Instituições Fe-derais de Educação Superior. Brasília. Recuperado em 10 de novembro de 2014, de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7612.htm.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas.

Machado, E. V. (2008). Políticas públicas de inclusão no ensino superior. In O. S. H. S., Souza (Org.). Itinerários da inclusão escolar: múltiplos olhares, saberes e práticas (pp. 44-53). Porto Alegre: Ulbra.

Mantoan, M. T. E. (2004). O direito de ser, sendo diferente, na escola. Ciências e Letras, (36), 47-62.

Ministério da Educação [MEC]. (2006). Direito à educação: subsídios para a gestão dos siste-mas educacionais: orientações gerais e marcos legais. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Educação [MEC]. (2007). Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: Ministério da Educação. Recuperado em 8 de outubro de 2014, de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/politica.pdf.

Ministério da Educação [MEC]. (2013). Documento orientador Programa Incluir: acessibilida-de na educação superior SECADI/SESU-2013. Brasília: MS. Acessado em 15 de feve-reiro de 2016 de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=13292-doc-ori-progincl&category_slug=junho-2013-pdf&Itemid=30192.

Ministério da Educação [MEC]. Portaria nº 3.284, de 7 de novembro de 2003. (2003). Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de insti-tuições. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado em 8 de outubro de 2014, de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port3284.pdf.

Moreira, L. C. (2004). Universidade e alunos com necessidades educacionais especiais: das ações institucionais às práticas pedagógicas. Tese de Doutorado, Faculdade de Edu-cação, Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Oliveira, A. S. S. (2011). Alunos comdeficiência no ensino superior: subsídios para a política de inclusão da UNIMONTES. Tese de Doutorado, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo, Brasil.

Pessini, M. A., Silva, R. O., & Silva, V. O. (2007). Compreendendo as experiências dos alunos com necessidades especiais no ensino superior. Akropólis, 15(1/2), 19-24.

Triviños, A. N. S. (1987). Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2018 Revista Internacional de Aprendizaje en la Educación Superior

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional.