A formação, o trabalho e fixação de egressos médicos na Amazônia Ocidental / The Medical Education, Medical Work and Staying of Student Egress of the Medicine Course in Western Amazonia

  • Jene Greyce Souza de Oliveira Universidade Federal do Acre
  • Grimar de Oliveira Paula Universidade Federal do Acre
  • Thiago Santos de Araujo Universidade Federal do Acre

Resumen

ABSTRACT

The present study allowed describing the characteristics and identifying the aspects of permanence and migration after graduating of Medicine students from Federal University of Acre. Transversal study with a convenience sample of 89 graduates of the five already graduated classes until 2011. The data were collected through questionnaires submitted online, in the period of June to August 2012. The study results show that 71% of graduates are coming from other states of Brazil, 80% aged below 30 years, 61% male, 81.8% rated the medicine course of UFAC as good, 66.7 % reported being prepared for professional practice, with 64% approved on residency and / or internship specialty. The vast majority of doctors are residing and working in the capitals of Brazil (79%), working in the public sector (61.4%) satisfied with their chosen career (87.4%). About 58% stayed in Acre and pointed family (26%) the main cause of permanence. Of the 42% who migrated to another state, better job offers (29.7%) was the main cause of change. The present study demonstrates that in places like Amazon, the best working conditions and remuneration can be measures to be taken by the competent bodies for fixing physicians in areas with lack of professionals and should be prioritized.

RESUMO

O presente estudo permitiu descrever as características e identificar os aspectos relacionados à fixação ou migração dos egressos do curso de medicina da Universidade Federal do Acre após a graduação. Estudo transversal, com uma amostra de conveniência de 89 egressos das cinco turmas já graduadas até 2011. Os dados foram coletados por meio de questionários encaminhados via eletrônica, no período de Junho a Agosto de 2012. Os resultados do estudo demonstraram que 71% dos egressos são procedentes de outros estados do Brasil, 80% com idade abaixo de 30 anos, 61% do sexo masculino, 81,8% avaliaram como bom o curso de medicina da UFAC, 66,7% referiram estarem preparados para o exercício profissional, com 64% aprovados em curso de residência médica e/ou estágio de especialidade. A grande maioria dos médicos está residindo e trabalhando nas capitais do Brasil (79%), em setor público (61,4%), satisfeitos com carreira que escolheram (87,4%). Aproximadamente 58% ficaram no Acre e apontaram os laços familiares (26%) como causas principais de permanência. Dos 42% que migraram para outro estado, as melhores propostas de trabalho (29,7%) foram as principais causas de mudança. O presente estudo demonstra que a em locais como a Amazônia, as melhores condições de trabalho e remuneração, podem ser medidas a serem adotadas pelos órgãos competentes para a fixação de médicos em áreas com poucos profissionais e devem ser priorizadas.

Biografía del autor/a

Jene Greyce Souza de Oliveira, Universidade Federal do Acre
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (1993) e mestrado em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia (2004). É médica especialista em Otorrinolaringologia e Medicina do Trabalho. Doutoranda em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (ingresso em 2013). Atualmente atua na equipe de ORL do Hospital das Clinicas do Acre, docente assistente da disciplina de Otorrinolaringologia e de Bioética do curso de Medicina da Universidade Federal do Acre. Na área de pesquisa médica atua na linha sobre estudos em Leishmaniose Mucosa, Bioética e Otorrinolaringologia.
Grimar de Oliveira Paula, Universidade Federal do Acre
Médico graduado pela Universidade Federal do Acre (2012).
Thiago Santos de Araujo, Universidade Federal do Acre
Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Acre (2005), e mestrado em saúde Publica pela Universidade de são Paulo (2010). Doutorando em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Docente da Universidade Federal do Acre na área de Epidemiologia e Bioestatística.

Citas

Andrade, E.O., Gouveia, V.V., Carneiro, M.B., Pinheiro, A.G. (Coords). (2005) O médico e seu trabalho: resultados da região norte e seus estados. Brasília, Brasil: Conselho Federal de Medicina.

Barbosa, G.A., Andrade, E.O., Carneiro, M.B., Gouveia, V.V., (Orgs). (2007). A saúde dos médicos no Brasil . Brasília: Conselho Federal de Medicina.

Brasil. (2007). Ministério da Educação. Portaria no. 1.083, de 28 de dezembro. Reconhecimento do curso de Medicina (bacharelado) da Universidade Federal do Acre . Brasília, Brasil: Diário Oficial da União.

— (2002). Ministério do Estado da Educação. Portaria no. 763, de 20 de março. Autorização do funcionamento do curso de Medicina (bacharelado) da Universidade Federal do Acre. Brasília, Brasil: Diário Oficial da União.

— (2001). Ministério da Educação. Institui as Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Medicina. Brasília, Brasil: Diário Oficial da União.

Bueno, R.R.L., Pieruccini, M.C. (Orgs). (2004). Abertura de escolas de medicina no Brasil – Relatório de um cenário sombrio. Brasília, Brasil: Associação Médica Brasileira. Conselho Federal de Medicina.

Caovilla, F., Leitzke, L., Menezes, H.S., Martinez, P.F. (2008). Perfil do Médico Egresso do Curso de Medicina da Universidade Luterana do Brasil (ULBRA). Revista da AMRIGS, 52 (2), 103-109.

Carneiro, M.B., Gouveia, V.V., (Orgs). (2004). O médico e o seu trabalho: aspectos metodológicos e resultados do Brasil . Brasília, Brasil: Conselho Federal de Medicina.

Castellanos, M.E.P., Silveira, A.F.H., Martins, L.C., Nascimento, V.B., Silva, C.S., Bortollotte, F.H.B., Garcia, J.B., Elias, P.E., Akerman, M. (2009). Perfil dos Egressos da Faculdade de Medicina do ABC: O que Eles Pensam Sobre Atenção Primária em Saúde? Arquivo Brasileiro Ciências Saúde, 34 (2), 71-9.

Cordeiro, E.B. (2011). O erro médico e suas consequências jurídicas: uma abordagem sob a perspectiva defensiva do médico . São Paulo, Brasil: Copyright.

CREMESP. Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. (2007a). Perfil do Médico do estado de São Paulo . Disponível em: http://www.cremesp.org.br/library/modulos/centro_de_dados/arquivos/perfil_medico_2007.pdf Último acesso em: 30 de out. 2012.

CREMESP. Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. (2007b). O Trabalho Médico no Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.cremesp.org.br/library/modulos/centro_de_dados/arquivos/mercado_de_trabalho.pdf Último acesso em: 8 set. 2012.

Dantas, A.B. (2006). Egressos de Medicina no Pará. [ Dissertação]. Belém, Brasil: Universidade Federal do Pará.

Feuerwerker, L. (1998). Mudanças na Educação Médica e Residência Médica no Brasil. Interface - Comunicação, Saúde, Educação , 2(3), 51-71.

FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz. (2012). A saúde no Brasil em 2030: diretrizes para a prospecção estratégica do sistema de saúde brasileiro. Rio de Janeiro: Fiocruz/Ipea/Ministério da Saúde/Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2010). Censo Demográfico . Disponível em: http://www.ibge.gov.br/estadosat/temas.php?sigla=ac&tema=sinopse_censodemog2010 Último acesso em: 20 de fev. 2012.

Lamounier, J.A, Torga, A.L.G.F., Leite, G.L.F. (2002). Características e Conceitos dos Formandos do Curso de Medicina da UFMG. Pediatria, 24 (3/4), 85-92.

Sakai, M.H., Cordoni Junior, L. (2004). Os Egressos da Medicina da Universidade Estadual de Londrina: Sua Formação e Prática Médica. Revista Espaço para a Saúde, 6 (1), 34-47.

Santos, M.I.P., Franco, E.F.P.M., Oliveira, L.G., Faria, L.T., Oliveira Neto, N.M., Amaral, T.S., Ribeiro, V.F. (2005). Perfil do Médico em Montes Claros e sua Atuação no Sistema Único de Saúde - SUS Loco - Regional. Unimonte Científica, 7 (1), 41-8.

Scheffer, M., Cassenote, A., Biancarelli, A. (Orgs.). (2013). Demografia Médica no Brasil: Cenários e Distribuição. Brasília, Brasil: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo/Conselho Federal de Medicina.

— ( 2011). Demografia Médica no Brasil : Dados Gerais e Descrições de Desigualdades. Brasília, Brasil: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo/Conselho Federal de Medicina.

Stella, R.C.R. (1997). Graduação Médica e Especialização: Uma Incompatibilidade Aparente. Revista Associação Médica Brasileira, 43 (4), 290-4.

Torres, A.R., Ruiz, T., Muller, S.S., Lima, M.C.P. (2012). Inserção, Renda e Satisfação Profissional de Médicos Formados pela Unesp. Revista Brasileira de Educação Médica, 36 (1), 32-40.

— (2011). Qualidade de vida e saúde física e mental de médicos: uma auto avaliação por egressos da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP. Revista Brasileira de Epidemiologia, 14 (2), 264-275.

Publicado
2015-03-05
Cómo citar
Souza de Oliveira, J. G., de Oliveira Paula, G., & Santos de Araujo, T. (2015). A formação, o trabalho e fixação de egressos médicos na Amazônia Ocidental / The Medical Education, Medical Work and Staying of Student Egress of the Medicine Course in Western Amazonia. Revista Internacional De Humanidades Médicas, 4(2). Recuperado a partir de https://journals.epistemopolis.org/hmedicas/article/view/847
Sección
Artículos