A comunicação espacial e sua materialização nas artes visuais brasileira / The Spatial Communication and its Materialization in Brazilian Visual Arts

  • Miguel Gally Universidade de Brasília (Unb)

Resumen

ABSTRACT

Reflections on the foundations and development of a tradition in Brazilian visual arts: the materialization of a non discursive spatial communication through some artworks from Hélio Oiticica (1937-1980), Ernesto Neto (1964-), and Maurício Panella (1973-).

RESUMO

Reflexões sobre os fundamentos e desenvolvimento de uma tradição nas artes visuais brasileira: a materialização de uma comunicação espacial não discursiva a partir de algumas obras de Hélio Oiticica (1937-1980), Ernesto Neto (1964-) e Maurício Panella (1973-).

Citas

Amoroso, L. (2000). Ratio & Aesthetica: la nascita dell´estetica e la filosofia moderna. Pisa, Itália: ETS.

Anjos, M. dos. (2010). As dobras, as voltas, os acúmulos e os vazios do trabalho. Em M. dos Anjos. Crítica (pp. 115-123). Rio de Janeiro, Brasil: Automática.

Baumgarten, A. G. (2007). Aesthetik - 1750. Hamburg, Alemanha: Felix Meiner.

Bourriaud, N. (2001). Esthétique relationnele. Paris, França: Les Presses du réel.

Braga, P. (2008). Conceitualismo e vivência. Em P. Braga (Ed.). Fios soltos: a arte de Hélio Oiticica. (pp. 259-276). São Paulo, Brasil: Perspectiva.

Cauquelin, A. (2007). A invenção da paisagem. São Paulo, Brasil: Martins Fontes.

Debord, G. (2003). Teoria da Deriva 1956. Em Jacques, P.B (Ed.) Apologia da Deriva: Escritos situacionistas sobre cidade. (pp.87-91). Rio de Janeiro, Brasil: Casa da Palavra.

Gally, M. (2008). Displacements of Creative Activity in Brazilian Visual Arts. Proceedings of the 14th International Symposium Electronic Art - ISEA 2008 (pp. 181-182). Singapura, Singapura: ISEA 2008 Pte Ltd.

— (2010). O sensível contemporâneo e a questão do espaço: Reflexões a partir do ambiente das artes visuais. Em F. Soulages (Ed.), O sensível contemporâneo. Salvador, Brasil: Editora Universidade Federal da Bahia.

— (2015). A (des)importância do espaço para pensar as artes visuais: entre Heidegger e o Ambiente da Arte”. Revista Ideação, (31), 125-147. http://www.revistaideacao.com.br/

Jacques, P. B. (2001). Estética da Ginga: arquitetura das favelas através da obra de Hélio Oiticica. Rio de Janeiro, Brasil: Ed. Casa da Palavra.

—. (2008). Parangolés de Oiticica/Favelas de Kawamata. Em P. Braga (Ed.). Fios soltos: a arte de Hélio Oiticica. (pp. 153-168). São Paulo, Brasil: Perspectiva.

Neto, E. (2011). Entrevista. Programa Museu Vivo, SESC TV. Disponiblizado pela emissora em 5.02.2014 em https://www.youtube.com/watch?v=ZZmJchHWpDw.

Oiticica, H. (1986). A dança na minha experiência - 1965. Em H. Oiticica, Aspiro ao grande labirinto. (pp. 72-76). Rio de Janeiro, Brasil: Rocco.

— (1960-66) Núcleos (1964-66) Parangolés e Penetráveis (Tropicália, 1961-67). Ver registros de exposições retrospectivas na Tate Gallery e Museo Reina Sofia: http://www.tate.org.uk/whats-on/tate-modern/exhibition/helio-oiticica/helio-oiticicaexhibition-guide/helio-oiticica-4; http://www.museoreinasofia.es/en/activities/heliooiticica. Ver ainda sítio oficial Projeto Hélio Oiticica – Rio de Janeiro, Brasil: http://www.heliooiticica.org.br/obras/obras.php. Consultados em 25.11.2015.

Panella, M., Fidelis, M. e Gally, M. (2015). Arte como conhecimento do mundo na metodologia criativa e pedagógica do Projeto De fora adentro – Cartografias dos Sentidos. Revista Estética e Semiótica, 5(1), 51-60. http://periodicos.unb.br/index.php/esteticaesemiotica/article/view/15701/11146.

Plaza, J. (2003). Arte e Interatividade: Autor-Obra-Recepção - 1990. Ars, 1(2), 9-29.

Shiner, L. e Kriskovets, Y. (2007). The Aesthetics of Smelly Art. Journal of Aesthetics and Art Criticism, 65(3), 273-286.

Volz, J. (2008). Ernesto Neto. Em A. Pedrosa (Ed.). Através: Inhotim – Catálogo (pp.124-127). Brumadinho, Brasil: Instituto Cultural Inhotim.

Publicado
2016-10-26
Cómo citar
Gally, M. (2016). A comunicação espacial e sua materialização nas artes visuais brasileira / The Spatial Communication and its Materialization in Brazilian Visual Arts. Revista Internacional De Cultura Visual, 3(2), 153-164. Recuperado a partir de https://journals.epistemopolis.org/imagen/article/view/238
Sección
Artículos